ÍNDICES E INSTRUMENTOS DE MERCADO

Mantivemos nos últimos anos a ambição de fazer da BRF a mais relevante e inspiradora empresa de alimentos do mundo, com um modelo de negócios que valoriza o consumidor final, a força de suas marcas e a robustez da cadeia produtiva. Neste sentido, a BRF alinha seus objetivos estratégicos, políticas e processos com os seus princípios da sustentabilidade, buscando gerar e preservar valor de longo prazo, reduzindo riscos e impactos negativos e gerando mais impactos positivos no e para o negócio.

Mantivemos nos últimos anos a ambição de fazer da BRF a mais relevante e inspiradora empresa de alimentos mundo, com um modelo de negócios que valoriza o consumidor final, a força de suas marcas e a robustez da cadeia produtiva. Neste sentido, a BRF alinha seus objetivos estratégicos, políticas e processos com seus princípios da sustentabilidade, buscando gerar e preservar valor, reduzir riscos e impactos negativos, e gerar mais impactos positivos no e para o negócio. Esse trabalho se dá por meio da adoção das práticas de sustentabilidade empresarial que permitem o atendimento das necessidades de curto prazo da Companhia e garantem a perenidade da empresa no longo prazo, sem comprometer as necessidades da sociedade.

ÍNDICE DE SUSTENTABILIDADE EMPRESARIAL DA BM&FBOVESPA (ISE)

Criado pela BM&FBovespa em 2005, busca criar um ambiente de investimento compatível com as demandas de desenvolvimento sustentável da sociedade contemporânea e estimular a responsabilidade ética das corporações. É uma ferramenta para análise comparativa da performance das empresas listadas na BM&FBOVESPA sob o aspecto da sustentabilidade corporativa, baseada em eficiência econômica, equilíbrio ambiental, justiça social e governança corporativa.

Também amplia o entendimento sobre empresas e grupos comprometidos com a sustentabilidade, diferenciando-os em termos de qualidade, nível de compromisso com o desenvolvimento sustentável, equidade, transparência e prestação de contas, natureza do produto, além do desempenho empresarial nas dimensões econômico-financeira, social, ambiental e de mudanças climáticas. A BRF compõe a carteira desde a sua criação.

DOW JONES SUSTAINABILITY INDEX (DJSI – ÍNDICE DOW JONES DE SUSTENTABILIDADE)

Esta série foi lançada em 1999 pela Dow Jones Stock Exchange e RobecoSAM para impulsionar a inovação na área de investimentos ESG (ambiental, social e de governança). Este índice tem sido pioneiro no desenvolvimento, construção e aplicação de índices para uso do setor de gerenciamento de ativos e, de uma forma mais ampla, conduzindo o movimento ESG no mundo inteiro. A análise é feita baseada em perguntas específicas para cada setor, focadas em fatores econômicos, ambientais e sociais que são relevantes para o sucesso da empresa, mas que são pouco pesquisados nas análises financeiras convencionais.

Essa informação, combinada com os objetivos de sustentabilidade e risco/recompensa dos investidores, é usada para produzir a família de índices, incluindo diversos índices globais, sub-índices e produtos inovadores como os índices ESG beta-inteligentes multifatoriais. A BRF está listada na carteira de Mercados Emergentes desde 2012.

ÍNDICE CARBONO EFICIENTE (ICO2)

Considerando as preocupações do mundo com o aquecimento global, grande desafio da humanidade neste século, a BM&FBOVESPA e o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), numa iniciativa conjunta, decidiram criar o Índice Carbono Eficiente (ICO2). Esse indicador, é composto pelas ações das companhias participantes do índice IBrX-50 que aceitaram participar da iniciativa, adotando práticas transparentes com relação a suas emissões de gases efeito estufa (GEE).

O ICO2 leva em consideração, para ponderação das ações das empresas componentes, seu grau de eficiência de emissões de GEE, além do free float (total de ações em circulação) de cada uma delas. O principal objetivo é incentivar as empresas a preparar-se para atuar em uma economia chamada de “baixo carbono” e prover o mercado com um indicador cuja performance será resultante de um portfólio balizado por fatores que incorporam à gestão das mudanças do clima. A BRF está nesta carteira desde 2009.

GRI e IIRC

A BRF apresenta aos seus colaboradores, consumidores, acionistas, investidores, fornecedores, clientes e demais parceiros o Relatório Anual, que adota a metodologia de relato da Global Reporting Initiative (GRI), versão G4 abrangente, em conjunto com as diretrizes de relato integrado do International Integrated Reporting Council (IIRC). Reportamos por meio destas referências internacionais todos os conteúdos específicos de desempenho associados a cada aspecto relevante do negócio, além de aprofundarmos a demonstração de nossas práticas de governança corporativa.

Também apresentamos os indicadores setoriais de alimentos, nossas práticas de alocação de recursos, nosso modelo de negócio e nossa visão sobre os capitais (financeiro, intelectual, humano, social, natural e manufaturado). Continuamente avançamos na demonstração de como cada tema socioambiental possui conexão com os riscos e oportunidades que mapeamos para o negócio, além de conversar com os resultados financeiros e operacionais. Os indicadores apresentados cobrem o período de 1º de janeiro a 31 de dezembro, tanto com relação aos dados financeiros quanto aos não financeiros.

INCENTIVOS FISCAIS E FINANCEIROS

A BRF acredita que deve ir além do cumprimento das legislações tributárias nos países em que atua, desenvolvendo relações construtivas e duradouras com as entidades locais, e cooperando para o aperfeiçoamento continuo dos sistemas de tributação onde operamos, sempre observando as nossas políticas de integridade e anticorrupção.

A gestão da nossa carga tributária ocorre de maneira integrada à estratégia de negócios da BRF, decorrendo, portanto, dos fatores que impactam o custo de servir os nossos clientes em cada localidade, incluindo preferências de consumo, logística, disponibilidade de insumos, condições de financiamento entre outros. Nosso objetivo é contribuir para que a companhia possa ofertar nossos produtos com alta qualidade, a um preço competitivo e acessível aos consumidores. Nossas decisões quanto aos tributos que arrecadamos consideram os impactos sobre nossos diversos stakeholders, incluindo clientes, investidores, fornecedores, empregados, governos e sociedade civil, e visam suportar o crescimento sustentável dos nossos negócios.

Neste contexto, buscamos nos qualificar nos programas de incentivos fiscais oferecidos na legislação dos países em que atuamos, de maneira transparente e colaborativa, em razão do alinhamento de interesses em contribuir para o desenvolvimento socioeconômico das comunidades em que estamos presentes, por meio de geração de empregos diretos e indiretos e pela oferta de produtos de qualidade a preços acessíveis, distribuindo assim, valor para nossos públicos de relacionamento não somente pelo recolhimento de impostos, mas também pela gestão de operações lucrativas, seguras, que respeitem o meio ambiente e a comunidade em que atuamos.

GREEN BONDS

Em 2015, nos tornamos a primeira empresa da América do Sul a emitir, no exterior, 500 milhões de euros de Senior Notes (green bonds). Com vencimento em 3/6/2022 e cupom (juros) de 2,75% ao ano, teremos sete anos para investir nos projetos de comprovada redução de impacto ambiental. Durante o período, a alocação de recursos será monitorada anualmente, para garantir sua conformidade aos critérios do título.

A emissão de green bonds permitiu à Companhia aumentar a capacidade de investimento em projetos verdes, tendo como foco categorias como eficiência energética, energias renováveis, florestas sustentáveis, redução de emissão de gases de efeito estufa, gestão de água, embalagens, redução do uso de matéria-prima ou gestão de resíduos. A experiência bem-sucedida se transformou em benchmark no mercado brasileiro – no qual a prática tende a ser cada vez mais disseminada, como forma de preparar companhias para investir no capital natural.

Downloads

Imagem mobile: 
Abrir em nova janela?: