Cadeia produtiva: monitoramento, controle e gestão

Nossas práticas estão alinhadas de ponta a ponta

Seguimos rigorosamente as práticas que garantem o bem-estar animal em toda a produção BRF. Se estendendo, inclusive, aos produtores integrados responsáveis pela criação dos animais.

Além das próprias unidades, a BRF possui o sistema de integração vertical, que são parcerias com produtores de criação de animais. A BRF fornece os animais, insumos e assistência técnica, e os produtores integrados fornecem mão de obra e estrutura seguindo as diretrizes do Programa Global de Bem-Estar Animal BRF. O seu não cumprimento ou falhas no atendimento das normas, podem ocasionar o rompimento do contrato.

As operações da BRF envolvem frango de corte, perus de corte, suínos, (produzidos sob a supervisão e controle da BRF através de operações próprias e parceiros integrados) e também carne bovina, produtos lácteos, vegetais e ovos não ferteis provenientes de fornecedores homologados e auditados, que assinam o documento Código de Conduta de Fornecedores, sendo bem-estar animal um dos itens nos quais o fornecedor se compromete a cumprir.

Cada uma das espécies possui uma participação distinta na cadeia de valor da BRF. A tabela apresenta uma descrição das operações. Vale ressaltar que, 100% da criação e abate de suínos e perus está localizada somente no Brasil.

SubsidiáriaOperações
Brasil (Principais marcas: Sadia, Perdigão, Veg&Tal, BIO, Qualy)No Brasil, as operações de criação e abate da companhia envolvem frangos, perus e suínos. Nas operações de processamento para produtos industrializados são utilizados como matéria-prima além das proteínas já citadas, bovinos de corte, ovos e produtos lacteos adquiridos de fornecedores criteriosamente selecionadose acompanhados.
Turquia (Marca: Banvit)Na Turquia, a BRF conta com três unidades de abate, sendo que essas abatem apenas frango de corte. Também são adquiridos insumos provenientes de bovinos, ovos, além de laticínios, para o processamento de produtos de marca-própria(BANVIT).
Oriente MédioA relação com o Oriente Médio data dos anos 1970, quando começamos a exportar para a região. Principalmente com a marca Sadia, temos atendido mercados aquecidos e promissores, especialmente em produtos branded e de valor agregado. Temos 5 unidades produtivas, mas nenhuma envolve operação de criação e abate de animais. As matérias primas provenientes de frangos e perus são enviadas do Brasil para essas fábricas.

A partir de 2021 a BRF iniciou um processo de mapeamento dos fornecedores de insumos de origem animal. A Gerência de BEA elaborou questionários abordando os aspectos mais relevantes de Bem-estar Animal, solicitando informações a respeito de métodos de criação, abate, certificação, mutilações e enriquecimento ambiental. Esses questionários foram encaminhados aos nossos fornecedores de carne bovina e produtos lácteos.

Por meio dessa ação, a BRF deseja movimentar a cadeia na busca de melhores práticas de Bem-estar animal para todos os animais participantes da sua cadeia. Veja a proporção de animais criados na BRF e provenientes de fornecedores.

PERCENTAGEM DE ANIMAIS NA CADEIA DE PRODUTOS BRF
EspéciePercentagemPaísNotas adiconais
Frango de corte70,40%
Brasil: 98,17%
Turquia: 1,83%
Produção de frangos na Turquia e Brasil. 100% da produção em conjunto com parceiros integrados.
Suínos26,20%Brasil: 100%Produção alocada somente no Brasil, em parceiros integrados.
Perus2,10%Brasil: 100%Produção alocada somente no Brasil, em parceiros integrados.
Bovinos0,70%
Brasil: 99,82%
Turquia: 0,17%
Não há criação ou abate de bovinos na BRF. A proteína é adquirida de fornecedores terceirizados.
Lácteos0,60%Brasil: 100%Não há criação ou abate de bovinos na BRF. A proteína é adquirida de fornecedores terceirizados.
Ovos0,01%
Brasil: 92%
Turquia: 8%
Não há criação ou produção de aves de postura. A proteína é adquirida de fornecedores terceirizados e certificados.
Vegetais1,52%Brasil: 100%Linha Veg&Tal (Linha vegetariana da BRF, composta de vegetais como: brócolis, batatas, similares aos cárneos e tortas).

Proteínas alternativas

Até 2050, a Terra terá 10 bilhões de habitantes, com um aumento esperado da demanda por proteínas em torno de 70%, segundo dados da ONU.

Na esteira do crescimento populacional e de consumo, novos hábitos estão se estabelecendo e alternativas à produção tradicional de proteína estão sendo desenvolvidas para fazer frente tanto à demanda quanto às mudanças na preferência dos consumidores.

Em pesquisa da Nielsen, 30% das pessoas disseram estar atentas aos ingredientes que compõem os produtos alimentícios. Sensível a este cenário, a BRF, está investindo não apenas no chamado mercado de proteínas tradicional, como também apresentando alternativas de consumo, com novos produtos e soluções que endereçam os desafios e as necessidades dos próximos 30 anos.

Dentro deste segmento alternativo estão as chamadas ‘proteínas cultivadas’ e plant-based (proteína vegetal). Além de operar no Brasil com a Veg&Tal, a BRF possui parceria com a empresa israelense Aleph Farms para a produção de proteína cultivada visando atender todos os nossos clientes e consumidores, além de diversificar o portifólio de proteínas, com foco em inovação para novos produtos, mas também o processo de inovação dentro do nosso core business atual.

Os investimentos em proteína cultivada e em plant-based reforçam a estratégia de plataforma global de multiproteína da BRF.

Saiba mais: https://www.sadia.com.br/vegtal/

Fornecedores

A BRF procura promover o Bem-estar Animal dentro e fora de sua produção. Algumas das práticas não incentivadas pela BRF são:

  1. Utilização de amarras para restrição de movimentos (Tethering).
  2. Arranque de penas (live plucking).
  3. Remoção de tiras de pele de lã ao redor da região pélvica de uma ovelha para evitar a infecção parasitária (Mulesing).
  4. Separação Vaca/Bezerro.
  5. Criação de aves em gaiolas.

Estamos trabalhando com os nossos fornecedores para que estas práticas não ocorram no sistema de criação de animais. Gostariamos de deixar claro que a BRF não realiza nenhuma dessas práticas citadas e nem comercializa penas provenientes de arranque e carne ou produto ovino. Esta recomendação vale para todos os produtos que levam a marca BRF globalmente.

Bovinos

O uso de carne bovina representa cerca de 0,7% dos produtos da BRF globalmente. Com cerca de 74% da cadeia mapeada podemos afirmar que destes são 100% livre de confinamentos restritivos (darkhouse); 96% livre de descorna e 100% criados em grupo e com acesso ao pasto.

Produtos Lácteos

Produtos derivados de produtos lácteos, fazem parte do portifólio da BRF, usados como ingredientes dos nossos queijos, requeijões e produtos industrializados. Adquirimos os produtos prontos de fornecedores selecionaods e permanentemente auditados pela nossa equipe. Os produtos de origem láctea representam cerca de 0,7% do volume de negócios da BRF globalmente. Com 27,4% da cadeia mapeada podemos afirmar que 100% dos animais não passam por corte de cauda ou são criados amarrados não passam por procedimento de corte de cauda e 100% passam por processo de insensibilização pré-abate.

Ovos

Não produzimos ovos para uso nos alimentos feitos na BRF. A produção de ovos na BRF tem como objetivo a produção de pintos que suprem a nossa própria cadeia produtora.

Foie Gras

A BRF se compromete a não produzir ou vender Foie Gras. A alimentação forçada de animais é proibida.

Aves

Em nenhuma fase do ciclo de vida das aves o arranque de penas é aceito ou permitido na BRF.

Rotinas de avaliação e auditoria internas e externas

Em 2023, 100% dos parceiros integrados serão avaliados dentro dos requisitos de bem-estar animal.

Todos os colaboradores da Companhia se comprometem a seguir o Manual de Transparência da empresa, onde um dos assuntos previstos é a obrigatoriedade do cumprimento das normas de Bem-estar Animal.

Quando observados descumprimento das normas de bem-estar animal e diretrizes internas da Companhia, os colaboradores deverão ser notificados para que as medidas cabíveis sejam adotadas, visando correção do descumprimento da norma/diretriz, podendo inclusive culminar em desligamento.

Nossos terceiros, incluindo: integrados, transportadores e equipes de carregamento devem cumprir o código de conduta dos fornecedores, sendo o Bem-estar Animal um dos assuntos contemplados dentro deste código. Estes também são avaliados. Em caso de descumprimento dos compromissos públicos e dos procedimentos de Bem-estar Animal, são aplicadas sanções que vão desde advertências, reprovação nas auditorias e suspensão até que os desvios sejam investigados. Estes fornecedores são bloqueados até a correção das não conformidades e só podem voltar ao processo após a correção. Dependendo da gravidade da não conformidade, o fornecedor deixará de prestar serviço a empresa.

Todos os fornecedores de matéria prima da BRF passam por avaliações criteriosas em Bem-estar Animal e Qualidade.

Certificações organizações externas

Atualmente, 100% dos suínos são abatidos em unidades que possuem certificação de terceira parte globalmente, por meio do protocolo da North America Meat Institute, exclusivamente na temática bem-estar animal. Para frangos de corte, 85,2% dos frangos são abatidos sob certificação de terceira parte, conforme protocolo da National Chicken Council e 100% dos perus são abatidos sob certificação de terceira parte, conforme protocolo da National Turkey Federation. As auditorias são conduzidas por profissionais aprovados pela Professional Animal Auditor Certification Organization (PAACO). Em 2023, 7 novos processos de abate de aves e suínos foram certificados, além da recertificação dos demais processos.

Os protocolos de Certified Humane, Produto Livre de Antibiótico e Global G.A.P auditam também a cadeia agropecuária de frango de corte.

Certified Humane

Certificação Internacional que considera a qualidade de vida dos animais desde o nascimento.

As exigências são superiores a diversoso padrões mundiais e garantem, dentro de vários fatores, que os animais tenham liberdade para expressar seu comportamento natural. Essa certificação deu origem a Linha Sadia Bio, com alto nível de bem-estar animal na criação das aves.

Essa certificação deu origem a Linha Sadia Bio, com alto nível de bem-estar animal na criação das aves.

Conheça mais sobre a linha Sadia Bio

Saiba Mais

Produto Livre de Antibiótico

As aves são vistoriadas desde o nascimento, passando pela criação e a ração consumida pelos animais, garantindo que não são utilizados nenhum tipo de antibiótico promotor de crescimento, bem como antibióticos de uso terapeutico durante a criação dos animais por certificadora externa. Essa certificação também faz parte da linha Sadia BIO.

Saiba Mais

PAACO

Os auditores PAACO (Professional Animal Auditor Certification Organization) são resposáveis por verificar o atendimento de padrões relativos ao abate humanitário das aves, que segue as premissas estabelecidas pela organização norte-americana National Chicken Council (NCC), referência mundial no segmento de aves. Esses profissionais também auditam a cadeia de suínos, garantindo que os animais são respeitados até o final de sua vida. No abate de suínos são seguidos os requisitos da N.A.M.I. (North America Meat Institute) que tem como uma das colaboradoras a renomada Dra. Temple Grandin.

Saiba Mais

Global G.A.P. IFA
(Integration Farm Assurance)

Organização privada que estabelece normas voluntárias para a certificação de produtos agrícolas em todo o mundo. Funciona como um manual de boas práticas agrícolas. A base do protocolo, além das boas práticas, é o bem-estar animal. A certificação abrange desde o inicio da cadeia de frango de corte até transporte das aves, incluindo matrizes produtoras de ovos, incubatório, engorda e transporte. Atualmente, temos 69 integrados certificados em Marau/RS e Serafina Corrêa/RS.

Saiba Mais

Global G.A.P. CFM
(Compound Feed Manufacturing)

O CFM define os pontos de controle e os critérios de conformidade para garantia de qualidade na produção, fornecimento e compra de matérias-primas e ingredientes para rações. Abrange todas as etapas de produção desde a compra, manuseio e armazenamento até o processamento e distribuição. Atualmente, a fábrica de ração de Marau/RS é certificada nesse exigente protocolo.

Saiba Mais