Monitoramento, controle e gestão

Constante aprimoramento no monitoramento da cadeia.

Existe um controle contínuo de mortalidade em todas as fases da cadeia reprodutiva, além de evolução no ganho de peso dos animais, número de animais eliminados, densidade nas granjas (quantidade ou o peso vivo de animais por metro quadrado em uma instalação), ocorrência de doenças, tempo médio de transporte dos animais, densidade e mortalidade de transporte e os processos de insensibilização pré-abate, atuando de maneira preventiva e com ações corretivas quando necessário.

Quando os indicadores acompanhados mostram qualquer tendência de desvio, são instaurados comitês em cada unidade produtiva para encontrar as oportunidades de melhoria. Os comitês unem elos da cadeia produtiva, buscam soluções e melhores práticas.

Mortalidade de animais a campo
2021 (1º semestre)
Frango 5,75%
Suínos Terminação 4,17%
Perus 4,87%

Desenvolvemos instruções corporativas específicas de bem-estar animal para cada etapa da cadeia, onde todas as ações mínimas em cada etapa estão descritas e de fácil acesso aos colaboradores. A matriz de conformidade nos ajuda a agir de forma preventiva e sistêmica de acordo com essas diretrizes.

A BRF possui um Comitê Corporativo de Transporte de Cargas Vivas que realiza o acompanhamento dos índices de transporte agropecuário. O tempo de transporte ainda é um grande desafio, dadas as dimensões territoriais de cada localidade (a exemplo do Brasil).

Como forma de mitigar o estresse no transporte, possuímos recomendações estabelecidas nas diretrizes corporativas internas, que recomendam que o tempo máximo para o transporte dos animais não ultrapasse 8 horas. Os caminhões possuem rota pré-determinada, rastreadores para controle de velocidade, telemetria e os motoristas são periodicamente treinados em bem-estar animal e direção defensiva.

Proporção de animais transportados em viagens com duração de até 8 horas
Indicador Total Geral
2020
Aves 98,56%
Suínos 97,60%
2021 (1º semestre)
Aves 98,59%
Suínos 99,45%

Toda a frota passa por vistorias periódicas para evitar que o veículo cause algum tipo de lesão ao animal. Quando essa situação é detectada, o veículo é enviado para manutenção e só retorna ao processo após verificação do oficial de bem-estar animal. O tempo de contrato dos veículos é de 7 anos, porém a média de idade dos veículos em 2021 está em 4 anos.

A BRF estabelece padrões para os veículos de transporte e cargas vivas, que são revisados anualmente a fim de garantir as melhores práticas. Como parte do comprometimento da companhia com aspectos de segurança, utilizamos alta tecnologia instalando sensores de fadiga para detectar sinais de cansaço dos condutores e, assim, proporcionar segurança a eles a aos animais.

Possuimos o Ranking de Transportadores que são avaliados pelo PROGRAMA GIF (Gestão Integrada de Fornecedores) com isso conseguimos medir a aderência deles na gestão de segurança, meio ambiente e operação.

Também temos instrução corporativa para o caso de sinistro no transporte de cargas vivas. Sendo assim os motoristas sabem o que fazer em caso de acidente. Além disso, todos os veículos possuem adesivos identificando o responsável da BRF para repassar as primeiras orientações em caso de emergência.

Os processos e tecnologias implementados para o transporte contribuem para evolução nos resultados. Um dos indicadores monitorado é a Mortalidade de Transporte de Frango de Corte.

INDICADOR MORTALIDADE DE TRANSPORTE
Frango 2019 2020 2021
0,145% 0,146% 0,145%

Número de acidentes com carga viva

Ano/ Segmento Total Geral Nº de animais mortos
2019
Aves 17 Não contabilizado
Suínos 18 Não contabilizado
2020
Aves 11 Não contabilizado
Suínos 4 Não contabilizado
2021 (até o momento)
Aves 14 cerca de 21.890
Suínos 5 Cerca 42

Tornar os animais insensíveis à dor antes do abate é fundamental para o nosso compromisso de garantir que os mais altos padrões de bem-estar animal sejam atendidos. É por isso que conduzimos monitoramentos internos diários de bem-estar animal em cada planta de processamento da BRF, que inclui um ponto de verificação crítico para garantir o atordoamento adequado e eficaz.

Respeitamos os nossos clientes e realizamos abate religioso sem insensibilização prévia ao abate em plantas no Brasil para atendimento do mercado específico.

Esse abate representa cerca de 7% das aves abatidas no Brasil.

Conforme mapeamento realizado em nossa cadeia os percentuais de animais insensilização são:

PERCENTAGEM DE ANIMAIS NAS OPERAÇÕES GLOBAIS QUE PASSAM POR INSENSIBILIZAÇÃO PRÉ-ABATE

Suínos Frango Perus Ovos Bovinos
Brasil 100% 92,3% 100% 100% 99%
Turquia - - - - -

Todos os funcionários que trabalham com animais vivos recebem treinamento sobre bem-estar animal. Os colaboradores que trabalham na área de insensibilização são capacitados especificamente para identificar sinais de má insensibilização e caso necessário repetir o processo para suínos.

Junto ao Oficial de Bem-estar animal possuem autoridade para parar a linha e realizar os ajustes necessários para que a insensibilização funcione com total eficiência. Para aves o monitoramento da qualidade da insensibilização é realizado por colaborador treinado e caso detectado aves má insensibilização, são realizados ajustes nos parâmetros elétricos para que a insensibilização seja efetiva.

PERCENTAGEM DE ANIMAIS NAS OPERAÇÕES GLOBAIS COM EFETIVIDADE DE INSENSIBILIZAÇÃO

Suínos Frango Perus Bovinos
Brasil 100% 99% 99% N.A
Turquia N.A 100% 100% N.A

A BRF também adota as premissas do abate humanitário, reforçando sua preocupação com o bem-estar dos animais nesta relevante etapa do processo. Monitoramos constantemente os indicadores de bem-estar animal, sendo que alguns indicadores são monitorados carga a carga, como, por exemplo, o tempo máximo de jejum dos animais, tempo na área de espera e temperatura nas áreas de espera.